Aprenda a desenhar a carreira que traz mais felicidade e energia para você, todos os dias!

Assine a newsletter da Adriana Ferrareto para receber dicas de gestão de carreira e liderança.

Já sabotou seus próprios planos para ajudar os outros?
9 de novembro de 2015
Você é viciado em trabalho?
16 de novembro de 2015

relacionamentoecarreiraTenho um grande amigo com quem sempre compartilho ideias, percepções e sonhos. Não é incomum sairmos para um café começarmos a filosofar sem compromisso algum, apenas pelo desejo de trocar, de ficarmos surpresos positivamente, com o ponto de vista um do outro. Como não poderia deixar de ser, o tema relacionamentos e carreira desfilou pela passarela desse nosso ritual. Achei tão interessante o que ele disse, que pedi que ele escrevesse para eu compartilhar por aqui. Aí estão, percepções do Muller Barone: escritor, roteirista e cineasta.

“Não acredito que seja possível dizer, com exatidão, por que relacionamentos acabam ou terminam. A resposta fica mais difícil ainda quando notamos que alguns se prolongam no tempo e brindes em bodas de prata e ouro, mas, na essência, terminaram, talvez, lá no quinto ano e os parceiros, se notaram, acharam melhor assegurar a zona de conforto.

É claro que todos querem ter uma companhia duradoura, isso é muito bom. Conversas, segredos, conhecimento recíproco, saber de longe, com um simples olhar, que é melhor não interferir naquele momento em que ele ou ela está distante, não interessa onde, só não está ali e quer ficar só naquele lugar da sua imaginação. “São duas pedras de gelo no uísque dele”, “Para ela tem que ser Jack, scotch nem pensar. ” Ela é médica, então faz um diagnóstico’ do plano de ação que ele traçou para empresa. Ele a habilidade cirúrgica na fala dela e sorri, certo que ela o ama, mas não sabe nada de planilha de Excel, oscilações da bolsa, só de fígado, baço, coração. Ah, sim, no quesito coração ela é expert, roubou o dele.

Quanto tempo deve durar um relacionamento? Um ano, uma década, um século, não importa, a pergunta é: Quanto tempo PODE durar um relacionamento? Um relacionamento que DEVE, não PODE. Relacionamentos são medidos por atitudes, não por marcas de contagem nas paredes, nos calendários ou nos aplausos e congratulações alheias.

Convém ter em mente que um relacionamento se faz com duas individualidades. Com duas diferenças, não com duas semelhanças. São duas composições biológicas diferentes. Corações se aperfeiçoam na medida em que aprendem e só precisamos aprender o que não sabemos, inclusive para aperfeiçoarmos as qualidades e sentimentos com os quais nascemos e, por isso, dominamos.

Um bom relacionamento, se e quando termina, deve ter em seus registros frases do tipo: “aprendi muito com ele” e “ela me ensinou um monte”. A mesma resposta, sim, com palavras diferentes, porque cada um aprendeu algo, ao seu jeito e com o toque do professor, porque cada um tem algo diferente a ensinar e a aprender.

E isso não acontece só no momento do barzinho, do cinema ou “oba, é hoje”. Um relacionamento honesto pressupõe compreensão com a carreira da pessoa que se ama. “Não entendo nada de market share, gatona, mas posso fazer um chá para você estudar essa doideira. Quer? ”, “Se você quiser arriscar um voo solo e ser dono da sua vida, conte comigo, gatão. “

Para finalizar, pergunto: como você está contando o “tempo” do seu relacionamento? Em beijos, conversas, parceria, cumplicidade ou em horas e dias? Quais são seus planos profissionais? Seu amado ou amada sabe? O que você renuncia pelo amor é atitude ou submissão?

Pense, sinta, lembre e viva o hoje. Hoje é muito tempo se contado em emoções. ”

ARTIGOS RELACIONADOS

Adriana Ferrreto

Strengths Coach certificada pelo Gallup® Institute
Executive Coach Certificada pelo Integrated Coaching Institute (ICI)
Certificação Internacional em Coaching Integrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
×

×
×
×

×
×
×
×
×